O aumento significativo do e-commerce durante a pandemia da Covid-19 ocasionou uma redução no uso de dinheiro físico. Foi o que revelou uma pesquisa realizada pela Mastercard e Americas Market Intelligence (AMI).

Com a crescente disponibilidade de alternativas, como os cartões de crédito e débito, além dos pagamentos por aproximação, 57% dos consumidores brasileiros passaram a usar menos dinheiro, sendo que 38% reduziram a utilização em pelo menos 20%. Confira os detalhes a seguir.

Novas formas de pagamentos e bancos digitais

Estudo divulgado no mês de outubro pela Americas Intelligence mostrou que os brasileiros desbancarizados — aqueles que não possuem conta em bancos e fintechs — sofreu uma significativa redução de 73% nos últimos cinco meses. Ao todo, mais de 40 milhões de pessoas foram bancarizadas.

Isso se deve, entre outras coisas, por termos enfrentado um distanciamento social no período da pandemia. Com isso, as pessoas precisaram realizar transações em formatos online.

Outro ponto significativo foi o aumento do uso de pagamentos por aproximação. No Brasil, a pesquisa da Mastercard e AMI revelou que:

  • 11% dos consumidores solicitaram cartão com tecnologia NFC aos provedores de serviços financeiros pela primeira vez;
  • 18% utilizaram a funcionalidade de pagamento por aproximação pela primeira vez durante a pandemia;
  • 35% revelaram que aumentaram o uso dos pagamentos por aproximação neste período.

Digitalização de serviços financeiros

A digitalização também foi característica marcante para os clientes que utilizam os serviços financeiros. Quer um exemplo? A pesquisa revelou que antes da pandemia da Covid-19, 44% dos brasileiros afirmaram que iam até os caixas eletrônicos para acessarem suas contas ou fazerem transações. Atualmente, o número chegou a apenas 27%.

Já nos casos de pessoas que se deslocavam até uma agência bancária, a queda foi ainda maior. Elas somavam 27% antes da pandemia e agora representam apenas 10%.

Por outro lado, as contas digitais fizeram o movimento contrário nos últimos meses em todo Brasil. Os clientes que afirmaram utilizar o internet banking subiram de 31% para 40%. Já o uso de aplicativos passou de 60% para 67%.

Além disso, existe ainda um dado muito relevante coletado no estudo: 70% dos entrevistados afirmam que atualmente usam os canais digitais para todas, ou para a maioria, de suas transações bancárias.

Vale ainda destacar a crescente iniciativa para uma maior organização financeira, o desejo de cortar despesas, evitar maiores dívidas e desenvolver uma mentalidade de longo prazo para administrar os recursos. Ao todo, 45% dos entrevistados na pesquisa revelaram que pretendem economizar dinheiro e outros 27% que passarão a pagar suas contas de forma virtual.

Mais espaço para fintechs no mercado financeiro

A demanda dos consumidores por mais serviços financeiros tem deixado o caminho aberto para o surgimento de novas fintechs especializadas no setor. Isso foi intensificado por conta da aprovação do sandbox regulatório no fim de outubro, pelo Banco Central (BC) e o Conselho Monetário Nacional (CMN).

Para você que não conhece o conceito, trata-se de um ambiente que permite que empresas autorizadas possam realizar testes de projetos capazes de gerar inovação no setor financeiro.

Quer saber mais? Descubra como o sandbox regulatório abre mais espaço para as fintechs.