A pandemia da Covid-19 ultrapassou um ano em todo o mundo e trouxe desde então crise em diversos setores econômicos. Entretanto, quando falamos das fintechs, as perspectivas foram as melhores possíveis: crescimento de 34% em 2020 no Brasil e aportes que ultrapassaram US$ 939 milhões, segundo dados do Distrito, hub de inovação para startups.

Para este ano, a expectativa segue alta, mesmo com o estabelecimento de novas medidas restritivas em todo o país. Acompanhe o artigo e fique por dentro de todas as tendências e os desafios para as fintechs em 2021. Boa leitura!

O cenário atual

O setor das fintechs está em amadurecimento em todo o país. Segundo informações do Banco Central, cerca de 40 instituições financeiras iniciaram suas atividades no ano passado, com empresas e bancos digitais especializados em tecnologia e serviços por aplicativos por conta das medidas de distanciamento social.

E mais que os grandes investimentos dos últimos anos, as instituições do setor contam com um ambiente muito propício para o crescimento. Entre eles, a implementação do PIX e o processo de Open Banking, além da ampliação de novos mercados. Vamos abordar cada um desses pontos a seguir.

PIX

Lançado em outubro de 2020, o PIX foi utilizado por 46 milhões de brasileiros apenas no seu primeiro mês. Totalizando, nesse período, mais de R$ 83,4 bilhões movimentados por pessoas físicas e jurídicas.

Para este ano, a tendência é que a tecnologia se fortaleça ainda mais, com os novos lançamentos previstos. Assim, as outras formas de pagamento deverão ser diretamente impactadas. Operações mais baratas, simples e independentes de bancos tem tudo para serem potencializadas.

Open Banking

Após a padronização e viabilização do Open Banking no Brasil, estabelecido pelo Banco Central (BC) e o Conselho Monetário Nacional (CMN), empresas de diferentes segmentos de mercado poderão disponibilizar produtos financeiros, obedecendo a regulamentações pré-estabelecidas.

Isso só é possível graças ao compartilhamento de dados e serviços de clientes - mediante autorização prévia de cada usuário - por meio de APIs, que são as responsáveis pela integração entre os sistemas com segurança de informações.

Com isso, a iniciativa deve incentivar maior inovação, competição, entrada de novos players e a agilidade no setor, além do surgimento de novos produtos e serviços desburocratizados e mais acessíveis.

Novos mercados

A transformação digital seguirá se consolidando em 2021. E, por esse motivo, as fintechs que buscarem por novas soluções no mercado devem chamar mais a atenção dos investidores no ano.

Com a continuação da pandemia, o crescimento da demanda por tecnologias contactless - de aproximação e ainda o PIX - que reduzem o risco de exposição ao vírus, seguirá em alta. Sem falar ainda que a expansão de todo setor contribuirá para inovações constantes no setor.

Desafios para 2021

Mesmo com as dificuldades econômicas impostas pelas novas ondas da pandemia em todo o mundo, as taxas de juros mais baixas e ainda a demanda crescente pela digitalização fará com que os investimentos em fintechs aumentem em 2021, apontam especialistas do setor.

Entretanto, é importante mencionar que um dos desafios mais relevantes para as fintechs será atrair novas rodadas de investimentos de alto valor. É importante frisar que muitas empresas de software já estão consolidadas e outras grandes corporações passarão a oferecer serviços financeiros para os seus clientes.

Outro ponto que merece destaque é a falta de mão de obra especializada e qualificada para atender tantas demandas. Contar com parceiros de tecnologia com experiência no mercado financeiro é uma ação possível para contornar esse cenário.


Agora que você já está por dentro das principais informações sobre os desafios e tendências das fintechs em 2021, também precisa descobrir como vai funcionar o Open Banking no Brasil e quais as vantagens para a sua fintech. Basta clicar aqui e conferir nosso e-book inteiramente gratuito! Aproveite.